Mulher sentada de frente para a janela relaxada no trabalho Texto destacado: Qualidade de vida no trabalho.

Você já parou para pensar se seus colaboradores são felizes trabalhando na sua empresa?

Não é segredo para ninguém que pessoas felizes trabalham melhor, produzem mais e trazem melhores resultados para as organizações.

Dessa forma, é responsabilidade de todo bom gestor investigar e definir as melhores formas de aumentar os níveis de satisfação de seu pessoal, mas como fazer isso?

O que gestores e líderes podem fazer para melhorar a Qualidade de vida no trabalho dos seus colaboradores?

É sobre isso que vamos falar a seguir. Veja os benefícios de investir em Qualidade de vida no trabalho e como uma boa gestão de QVT pode ajudar a aumentar o bem-estar das pessoas que trabalham para você.

 

Qualidade de vida no trabalho aumenta em até 31% a produtividade.

 

Isso é o que diz uma pesquisa realizada na Universidade da Califórnia, em Riverside. Além de serem mais produtivos, colaboradores mais felizes são três vezes mais criativos e vendem 37% mais. Você tem ideia do que isso significa?

Para citar alguns benefícios reais e fáceis de mensurar podemos dizer que melhorar a Qualidade de vida no trabalho:

  • melhora os processos, diminuindo gargalos significativos, já que os colaboradores se tornam mais produtivos;
  • diminui atrasos nas entregas;
  • aumenta o engajamento do indivíduo com os projetos em que estiver envolvido;
  • diminui os efeitos do turnover, o que implica em redução de custos com treinamentos, integração e processos seletivos;
  • redução de absenteísmo, que está relacionado à faltas.

Se pensarmos a respeito do desdobramento que estes pontos produzem na performance da empresa como um todo em algum momento vamos perceber o impacto na retenção de clientes, no crescimento da empresa e consequentemente no caixa do seu negócio.

Dito isso eu preciso te perguntar, quanto você tem se dedicado para tornar seus colaboradores mais felizes?.

 

Como diria Richard Branson…

 

“Os clientes não vêm em primeiro lugar. Os funcionários vêm em primeiro lugar. Se você cuidar dos seus funcionários, eles cuidarão dos clientes”.

Essa famosa frase do empresário britânico, fundador da Virgin Group, é perfeita para reforçar a ideia de que o capital humano é o que as empresas têm de mais valioso.

Sendo assim, tornar seus colaboradores engajados com a causa da organização é uma questão de extrema importância para quem visa o crescimento.

O grande desafio é descobrir como criar uma gestão de QVT que faça sentido para a cultura da sua empresa e que gere resultados em todos o sentidos. Para isso é importante entender o que é Qualidade de vida no trabalho para os seus colaboradores.

A ideia por trás do termo QVT é de fácil compreensão, Qualidade de vida no trabalho está totalmente ligada ao bem-estar e satisfação dos trabalhadores.

Então, o primeiro passo para criar uma boa gestão do capital humano na organização é de fato entender  se as pessoas estão felizes trabalhando para você, mas falar de felicidade é bastante subjetivo pois cada um é feliz de sua própria maneira.

No entanto, no ambiente de trabalho é possível criar maneiras de “medir a satisfação” dos colaboradores através de pesquisas, avaliações de desempenho e diálogos abertos sobre o tema. Além disso, observar o comportamento e oferecer frequentemente feedback, assim como receber, é o básico para começar uma boa gestão da Qualidade de Vida no Trabalho.

E o que fazer com essa informação?

Você já observou como as pessoas estão estressadas atualmente? Não apenas no trabalho, mas em todo lugar. Quantas pessoas você conhece que estão sofrendo de ansiedade, depressão, insônia e por aí vai?

Se eu disser a você que muito disso tem relação com a forma como o trabalho tem sido desempenhado nas organizações, você acredita? Atividades que outrora eram exercidas por duas ou três pessoas, hoje são desempenhadas por uma.

Com isso aumenta a demanda de trabalho, a cobrança e consequentemente o estresse. E dessa forma se torna necessário priorizar a saúde dos colaboradores. SAÚDE. Essa deve ser a primeira preocupação de um gestor, pelo menos dentro daquilo que está ao seu alcance.

Então, pense em como é o ambiente de trabalho e quais melhorias podem ser feitas para torná-lo mais amigável e feliz. Como é a relação do colaborador com seus líderes e colegas? Quais ações podem ser feitas para melhorar essa relação?

Dinheiro não é tudo!

Segundo Chiavenato (2004, p.448), o conceito de QVT envolve tanto os aspectos físicos e ambientais, como os aspectos psicológicos do local de trabalho. Os aspectos físicos e ambientais estão ligados a: ergonomia, temperatura, estilo, condições das ferramentas de trabalho, etc.

Os aspectos psicológicos estão basicamente ligados a quatro componentes:

  • Relacionamentos humanos agradáveis;
  • Tipo de atividade agradável e motivadora;
  • Estilo de gerência democrático e participativo;
  • Eliminação de possíveis fontes de estresse.

Sendo assim, é importante ter um programa de remuneração e benefícios que esteja de acordo com as funções desempenhadas, aliás estes são alguns dos fatores de maior relevância para os colaboradores.

Porém, as pessoas não trabalham apenas por dinheiro. É importante criar programas de incentivo que envolvam planos de carreira bem construídos, treinamentos constantes sobre liderança, programas de conscientização sobre a importância de ter qualidade de vida fora da organização, e um bom programa de segurança no trabalho.

É possível calibrar as ações de acordo com a percepção dos resultados, que devem ser medidos de acordo com as métricas de cada área. Ex: Mais vendas, mais atendimentos, melhora da nota de satisfação dos clientes…

É muito importante que a construção de uma cultura que favoreça o aprendizado e o crescimento do profissional seja estabelecida dentro da organização. Este é um trabalho que pode ser desenvolvido pelos gestores em parceria com profissionais de RH.

 

Produtividade a todo custo?

 

Podemos afirmar que ignorar a importância da QVT é uma decisão arriscada para as empresas, que implica numa perda significativa da produtividade.

No entanto, a construção de uma boa gestão de pessoas nas organizações não deve ser feita visando apenas a produtividade. Estamos falando de pessoas, é importante humanizar a relação entre colaborador e empresa.

Claro que o colaborador precisa ser participativo neste processo. A QVT faz parte da qualidade de vida no geral, não é possível separar essas coisas. Isso significa que muito do que acontece “fora do trabalho” pode interferir de alguma forma dentro da organização, o colaborador também precisa ter essa noção.

É importante haver união de ambas as partes. A QVT é interesse de todos, aumenta naturalmente a produtividade e a qualidade dos processos, e ainda melhora o clima organizacional. Quem trabalha mais feliz tem mais prazer em fazer o que faz. Isso é bom para todo mundo.

 

Comentários